Por Paulo F. Kertzman
Tratabalho apresentado originalmente no 11º Congresso ISMST

Introdução:

As tendinites crônicas são um grande desafio ao tratamento ortopédico. Quando falham os tratamentos habituais com o repouso, imobilização, fisioterapias as mais variadas e até infiltrações, restam como opção a Terapia por Ondas de Choque ou cirurgia.

As Ondas de Choque tem mostrado bom resultado tanto em nosso meio como na literatura internacional. As cirurgias para estes casos de tendinopatias crônicas são na maioria efetivas porém não são isentas de complicações.

Relataremos a seguir um grupo especial de pacientes que tivemos a oportunidade de tratar com Ondas de Choque após terem sido submetidos a tratamento com cirurgia sem sucesso.

Material e Métodos:

Foram tratados 9 pacientes (7 homens e 2 mulheres ) sendo distribuídos da seguinte forma:

– 2 com fascite plantar com dor persistente após fasciotomia aberta;

– 2 com dor persistente após tratamento cirúrgico de ruptura de tendão calcâneo;

– 2 após cirurgia aberta para tendinite patelar e;

– 3 após tratamento artroscópico de epicondilite lateral do cotovelo.
Todos com mais de 6 meses de evolução pós operatória, sem melhora com os cuidados habituais. Todos foram tratados com 3 sessões consecutivas com intervalo semanal, sendo aplicadas 2000 Ondas de Choque com energia de 0,2 mjoules/mm em regime ambulatorial sem necessidade de anestesia ou internação.

Resultados:

Avaliamos após 3 e 6 meses nossos pacientes através da dor e também quanto ao retorno às atividades diárias e esportivas e questionamos se estavam satisfeitos ou insatisfeitos com o resultado do tratamento.

As duas pacientes com fascite plantar referiram não sentir mais dor ao levantar e ao andar e se declararam satisfeitas.

Os dois casos de dor persistente pós cirurgia de tendão calcaneo se declararam satisfeitos e retornaram ao esporte (tenis um e beisebol o outro).

Quanto aos dois com dor persistente no tendão patelar, um retornou às corridas porém o outro não teve melhora.

Em relação aos 3 pacientes com epicondilite, 2 voltaram à praticar tenis sem queixas porém um voltou a jogar porem refere dor eventual.

Totalizaram dos 9: 7 satisfeitos e 2 insatisfeitos.

Discussão:

O tratamento das tendinopatias crônicas são sempre difíceis, lentos e com resultados nem sempre satisfatórios com a cirurgia seja aberta ou endoscópica.

A Terapia por Ondas de Choque vem sendo cada vez mais reconhecida como uma opção
para estes casos com diversas publicações importantes e aprovação nos Estados Unidos e Europa .

Dificilmente encontramos na literatura o que fazer com os maus resultados especialmente em casos de tendinopatias onde vários aspectos como biomecânica, erros de treinamento, e até problemas psicológicos podem estar envolvidos.

Apesar da pequena casuística, este trabalho vem oferecer mais uma opção para estes casos de difícil solução.

Conclusão:

Para pacientes com tendinopatias crônicas, a terapia por Ondas de Choque é uma opção tanto na fase pré-operatória como no eventual insucesso em casos operados.

© 2021 Sociedade Médica Brasileira de Tratamento por Ondas de Choque.

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?