Terapia por Ondas de Choque (ESWT) na Fascite Plantar Crônica – 7 Anos de Experiência Com Dois Tipos de Aparelhos Geradores de Ondas de Choque
Por José Eid
Tratabalho apresentado originalmente no 11º Congresso ISMST
Objetivo:

Comparar a eficácia da terapia por ondas de choque no tratamento da fascite plantar crônica utilizando dois tipos de geradores de ondas de choque com níveis de energia e número de sessões similares.
Casuística e Métodos:

a) Casuística:

No período de janeiro/99 a agosto/06 foram realizadas 429 sessões de terapia por ondas de choque em 143 pacientes. Foram incluídos 95 pacientes e excluídos 48 por ausência de seguimento.

O aparelho com gerador eletromagnético foi utilizado em 51 pacientes no período de janeiro/99 a junho/ 05. Aparelho gerador pneumático foi utilizado em 44 pacientes no período de janeiro/ 2004 a agosto/ 2006.

A idade variou entre 20 a 81 anos (média de 53,3 anos). Bilateral em 9 casos, 49 pacientes do sexo feminino (51,5%), 46 do sexo masculino (48,5%), 50 no lado D e 45 no lado E.

b) Métodos:

Os critérios de inclusão e exclusão foram baseados nos protocolos das Sociedades Internacional e Brasileira de Terapia por Ondas de Choque.

A fáscia plantar foi localizada e focalizada com uma mira permitindo a visualização exata do local de ação da onda de choque. O aparelho eletromagnético (Dornier Epos Ultra ®) apresenta um sistema com um braço acoplado e concêntrico, possibilitando a visualização mediante ultrassonografia com transdutor de 7,5 Mhz.

O aparelho pneumático (EMS Swiss Dolorclast ®) foi posicionado no ponto doloroso do retropé.

A energia aplicada com o gerador eletromagnético e pneumático foi de 0,22 mj/mm2 e 0,18 mj/mm2 respectivamente.

Foram realizadas 2000 ondas de choque em cada sessão, em intervalos semanais, num total de 3 sessões, sem qualquer tipo de anestesia.

Utilizamos a VAS (Visual Analogic Scale), com avaliação e seguimento nos períodos de 2 meses, 6 e 12 meses.

Resultados:

A melhora da dor e função com o gerador eletromagnético no período de 2 meses foi de 52,4% , em 6 meses de 73,0% e 85,2% em 12 meses, com o gerador pneumático a melhora da dor e função no período de 2 meses foi de 55,2%, em 6 meses de 72,9% e 84% em 12 meses.

Não houve diferença de resultados entre os geradores eletromagnético e pneumático.

Discussão:

A utilização de níveis de energia e número de sessões equivalentes, apesar de diferentes geradores de ondas de choque, demonstram resultados similares.

Os resultados aqui apresentados são similares a outros estudos existentes.

Os aparelhos utilizados neste trabalho são aprovados pelo FDA com trabalhos científicos com nível 1 de medicina baseada em evidência,ou seja, estudos multicêntricos, randomizados, com grupo controle e duplo cego.

Conclusão:

ESWT é efetiva no tratamento da fascite plantar crônica independente do gerador utilizado.

ESWT deve ser considerada como uma alternativa à cirurgia por apresentar bons resultados, não ser invasiva, apresentar mínimas complicações e eliminar os riscos inerentes aos procedimentos invasivos

© 2021 Sociedade Médica Brasileira de Tratamento por Ondas de Choque.

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?