Desenvolvimento do tratamento com as ondas de choque

Os desenvolvimentos promissores em novos campos da medicina são baseados em uma longa experiência com ondas de choque – para ser eficaz e com risco mínimo de efeitos colaterais. Nos últimos 30 anos, o tratamento por ondas de choque extracorpóreas tem sido aplicado com sucesso para desintegrar cálculos renais, utilizando principalmente energia mecânica elevada da onda de choque. As Ondas de Choque passam através dos tecidos moles, sem danificá-los. As partículas remanescentes dos cálculos são eliminadas através do trato urinário.

Da desintegração da pedra de rim para tratamento ósseo.

O conceito de tratamento de patologias ósseas e tendinosas surgiu a partir de observações de tratamentos por ondas de choque extracorpóreas de pedras profundas posicionadas na uretra e bexiga. A fim de se desintegrar estes cálculos, as ondas de choque tinham que passar através do osso ilíaco. O monitoramento radiográfico mostrou que ocorreu um espessamento do osso ilíaco nos pacientes tratados; e este efeito definitivo das ondas de choque sobre o crescimento do tecido ósseo atraiu rapidamente a atenção de cirurgiões ortopédicos e de traumatologistas.

Após estudos clínicos apropriados e experimentos em animais, o uso e indicação da terapia por ondas de choque aumentou em todo o mundo nos casos de retardo de consolidação ou não consolidação de fraturas, assim como nas patologias de tendão (cotovelo de tenista, dor no calcanhar; “esporão de calcâneo”, calcificação do tendão do ombro). Todas as observações indicaram que as ondas de choque não só estimulavam o crescimento de tecido ósseo, mas também curavam outros tecidos (pele, tendões, músculos, etc.)

O Tratamento de Ondas de Choque é utilizado com sucesso por mais de 15 anos nas patologias ortopédicas. O tratamento por ondas de choque extracorpóreas se expandiu em todo mundo nas indicações ortopédicas clássicas:

1. Tendinopatia calcificante do ombro
2. Pseudoartrose (não consolidação óssea das fraturas)
3. fascite plantar (“esporão”)
4. Epicondilite do cotovelo (cotovelo do tenista)

Devido à extensa pesquisa básica nos últimos anos com conseqüente entendimento da estimulação biológica originada pelas ondas de choque, expandiu-se de maneira substancial o leque das indicações nos tecidos moles e nas junções osteotendinosas, incluindo tendinopatia Aquiliana, a tendinopatia patelar (joelho do saltador), síndrome da dor do grande trocanter (GTPS) ou Bursite Trocantérica, síndrome dos adutores e muitas outras tendinopatias crônicas e patologias musculares. Especialmente para pessoas fisicamente ativas e atletas de alta performance, a terapia por ondas de choque oferecia uma opção de tratamento não-invasivo.

“Positivos” efeitos colaterais levam a novos campos de aplicação

Ao documentar “positivos” efeitos colaterais, como a cura mais rápida de feridas após o tratamento por ondas de choque, esta tecnologia expandiu-se rapidamente em campos médicos totalmente novos. ESWT ganha mais e mais importância no tratamento de lesões de pele agudas e crônicas, tais como: escaras, úlceras arteriais e venosas crônicas do diabético, queimaduras, alterações de cicatrização pós-traumática e pós-cirúrgica. Resultados clínicos da aplicação no sistema músculo-esquelético são uma redução da dor e restauração da disfunção muscular, desenvolvendo novas opções terapêuticas no aparelho locomotor. Estudos com animais e estudos clínicos iniciais também poderiam provar o efeito regenerativo sobre o tecido do músculo cardíaco danificado. Recentes estudos mostraram, após a aplicação de ondas de choque em ensaios com animais,
a recuperação acelerada de lesões de nervo periférico.

Mecanismos das ondas de choque

Originalmente, um modelo “mecânico” da onda de choque foi adotado. Depois de passar através dos tecidos moles sem danificá-lo, ocorrem micro-lesões na área alvo a ser tratada desencadeando o impulso da consolidação no osso. Mas os resultados recentes em pesquisa básica comprovam que a hipótese original de um efeito mecânico deve ser considerada incorreta.

Do modelo mecânico para a “Bioengenharia inata do corpo”

Vários grupos de pesquisadores de todo o mundo realizaram pesquisas básicas em ondas de choque demonstrando que a terapia por ondas de choque provoca uma “resposta biológica” no tecido tratado.

Sob a influência das ondas de choque, os genes no núcleo das células são ativados iniciando a produção de várias proteínas responsáveis pelos processos de cicatrização (os chamados”fatores de crescimento”).

Isto determina um aumento de vasos sangüíneos neoformados nos tecidos tratados, bem como o crescimento de tecidos novos, desencadeando o processo de cicatrização – de uma melhor circulação do músculo do miocárdio, formação de novo tecido ósseo ou a formação de uma pele nova dentro das lesões. Estudos muito recentes, também podem provar que o tecido précondicionado com ESWT influencia a migração de células-tronco (atrai células-tronco) do próprio corpo.

Até mesmo a diferenciação de células-tronco (formando tecido original / evitar a formação de cicatrizes) parece ser influenciada positivamente pelas ondas de choque.
Assim, foi demonstrado que, sob a influência das ondas de choque “a bioengenharia inata do corpo” gera um processo de auto-cicatrização pelo próprio organismo.

Iniciação efetiva de auto-cicatrização – relevante em muitos campos da Medicina

Para os médicos, esse princípio ativo oferece dezenas de novas possibilidades. Em vez de aplicar substâncias biologicamente ativas, que são produzidos em laboratórios de alto custo e com alto risco; as ondas de choque podem ser aplicadas para ativar o sistema natural do corpo para este criar estas substâncias naturalmente. Esta nova hipótese do mecanismo de ação micro-biológico das ondas de choque tem sido confirmada em vários experimentos com animais e tem atraído o interesse de outros campos da medicina. Isto tem sido corroborado pelo primeiro sucesso de aplicações clínicas do tratamento por ondas de choque em casos de problemas de circulação do músculo do miocárdio, bem como de lesões de pele aguda e crônicas.

Estes resultados estabeleceram as bases para a terapia por ondas de choque aplicado em outros campos da medicina.

Esta informação sobre ESWT é publicado pelos membros da Diretoria ISMST.

Kiel, junho de 2011
Em nome do Conselho de Gestão dos Membros da Diretoria da ISMST:

Dr. Vinzenz Auersperg
General Secretary of the ISMST

© 2020 Sociedade Médica Brasileira de Tratamento por Ondas de Choque.

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?